PRECIPITAÇÃO E VENTO FORTE - 12 e 13 de dezembro

No seguimento de informação atualizada e transmitida pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), prevê-se:

- Hoje, períodos de chuva moderada, e por vezes forte (entre 10 e 20 mm numa hora) a partir da noite no litoral a norte do cabo Mondego, estendendo-se gradualmente às restantes regiões do norte e do centro. 

- Vento do quadrante sul forte no litoral oeste e nas terras altas, com rajadas até 75 km/h no litoral a norte do cabo Carvoeiro (e até 70 km/h a sul) e até 100 km/h nas terras altas do norte e centro (até 90 km/h a sul), a partir do final da tarde de hoje até ao início da manhã de amanhã.

- Amanhã, aguaceiros, que podem ser localmente fortes (entre 10 e 20 mm numa hora) e ocasionalmente de granizo e acompanhados de trovoada no litoral das regiões norte e centro até ao final da manhã, e que serão pouco frequentes nas regiões do interior. Possibilidade de ocorrência de trovoada até ao final da manhã, em especial no litoral.

- Para amanhã, está prevista queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela, descendo gradualmente a cota para 800/1000 metros na região Norte e 1000/1200 metros na região Centro, em especial nas serras do Gerês, Marão e Montemuro e durante a madrugada até ao início da manhã.

- Aumento do desconforto térmico na noite de hoje para amanhã tendo em conta o aumento da intensidade do vento e a temperatura com valores entre 0 e 3 º C nas regiões do interior norte e centro.

 

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:
- Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
- Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;

-Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia
- Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
- Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
- Danos em estruturas montadas ou suspensas;
- Possíveis acidentes na orla costeira;
- Intoxicações por inalação de gases, por inadequada ventilação, em habitações onde se utilizem.

A Proteção Civil Municipal recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que recomenda-se a adopção das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

- Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

- Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;

- Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

- Retirar das zonas confinantes, normalmente inundáveis, equipamentos agrícolas, industriais, viaturas e outros bens;

- Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;

- Ter especial cuidado na circulação e permanência junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;

- Colocar animais em locais seguros, retirando os rebanhos que se encontram nas zonas que serão provavelmente inundáveis;

- Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança, desenvolvendo as ações necessárias para a proteção da vida humana e bens.

Aplicação de medidas obrigatórias contra a praga "psila africana dos citrinos"

 

                                                                                       

 

AVISO - Faixas de Gestão de Combustivel em redor de poligonos industriais

 

                                    

   

José Alberto Freitas Soares Pinheiro e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Vale de Cambra faz saber que em cumprimento do disposto no Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de Junho, com a redação dada pelo Decreto-Lei n.º 17/2009 de 14 de Janeiro, republicado pela Lei n.º 76/2017 de 17 de Agosto, alterado pelo Decreto-Lei n.º 10/2018 de 14 de Fevereiro que estabelece as medidas e ações a desenvolver no âmbito do Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios, e do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios – PMDFCI, vimos informar que a Câmara Municipal vai promover as ações de gestão de combustível nas faixas envolventes à Zona Industrial da Calvela, Zona Industrial do Rossio, Zona Industrial Lordelo/Codal, Zona Industrial Cerqueda/CodalZona Industrial Algeriz e Zona Industrial Cavadas,abrangida pelo mencionado PMDFCI e que integra a rede secundária de faixas de gestão de combustível.

O trabalho de gestão de combustível será efetuado numa faixa envolvente à zona industrial, com largura de 100m, de acordo com os seguintes critérios:

- proceder à limpeza total do mato;

- afastar a copa das árvores 5 metros do edifício;

- afastar as copas das árvores 10m;

- derramar a árvore 4 metros acima do solo;

- a distância entre copas das árvores deve ser 10 m nos povoamentos de pinheiro bravo e eucalipto e de 4m entre copas de outras espécies florestais;

 

Pelo que ficam desta forma todos os proprietários interessados avisados de que a Câmara Municipal no prazo de 10 dias úteis, a contar da data de afixação do presente aviso, vai proceder à referida gestão de combustível na zona envolvente às referidas Zonas Industriais num raio de 100 metros.

Os proprietários e/ou produtores florestais poderão acompanhar os trabalhos bem como proceder à imediata remoção dos materiais resultantes das ações de gestão do combustível.

Solicitamos aos proprietários que, previamente, pretendam efetuar a gestão de combustível ou a remoção dos materiais sobrantes, forneçam essa informação ao Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal.

Avisamos ainda que, na impossibilidade de procedermos às ações de gestão de combustível, serão desencadeados os procedimentos legalmente previstos, sob as disposições conjugadas do Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de Junho republicado pela Lei n.º 76/2017 de 17 de Agosto alterado pelo Decreto-lei n.º 10/2018 de 14 de Fevereiro e do artigo 153 da Lei n.º 114/2017 de 29 de dezembro.

Qualquer dúvida poderá ser esclarecida junto do Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal de Vale de Cambra.

Prepare-se e Proteja-se dos Incêndios Rurais

Se estiver próximo de um incêndio:
  • Ligue de imediato para o 112;
  • Se não correr perigo e possuir vestuário adequado (tipicamente roupa de manga comprida, botas e luvas), tente extingui-lo com pás, enxadas ou ramos;
  • Não prejudique a ação dos Bombeiros, Sapadores Florestais e outras forças e socorro e siga as suas instruções;
  • Retire a sua viatura dos caminhos de acesso ao incêndio;
  • Se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco, informe as autoridades;
  • Se o incêndio estiver perto da sua casa, avise os vizinhos, corte o gás e molhe abundantemente as paredes e os arbustos que rodeiam a casa.

Se um Incêndio se aproximar de sua casa:

  • Avise os vizinhos;
  • Regue paredes, telhado e 10 metros à volta de casa;
  • Feche portas, janelas e outras aberturas, corra persianas ou portadas;
  • Retire mobiliário, lonas ou lenhas próximas da habitação;
  • Caso tenha condições de segurança, desligue e retire as botijas de gás para um local seguro;
  • Afaste o que possa arder junto às janelas e coloque toalhas molhadas nas frestas;
  • Se não correr perigo, apague pequenos focos de incêndio com água, terra ou ramos verdes.

Se ficar cercado por um incêndio:

  • Dirija-se para um abrigo ou refúgio coletivo. Se não estiver próximo, procure uma zona preferencialmente plana, com água ou com pouca vegetação;
  • Respire junto ao chão, se possível através de um pano molhado, para evitar inalar fumo;
  • Cubra a cabeça e o resto do corpo;
  • Utilize um lenço húmido para proteger a cara do calor e dos fumos.

Preparação para a evacuação:

  • Manter os documentos mais importantes do agregado familiar, bem como o boletim sanitário dos animais de estimação, em local seguro e de fácil acesso (mala ou saco, por exemplo), de modo a que possam rapidamente ser transportados em caso de retirada do aglomerado. Considerar a possibilidade de guardar cópia dos documentos na casa de um familiar ou digitalizados num cartão de memória;
  • Ter preparado um kit de evacuação onde constem artigos essenciais a utilizar em caso de emergência:
  1. Um estojo de primeiros socorros;
  2. A sua medicação habitual;
  3. Água e comida não perecível;
  4. Produtos de higiene pessoal;
  5. Uma muda de roupa;
  6. Rádio, lanterna e apito;
  7. Dinheiro;
  8. Lista de contactos de familiares / amigos.

Alteração de legislação relativa a limpeza de terrenos em redor de edificios

A Câmara Municipal de Vale de Cambra avisa  a todos os interessados que na sequência da publicação no dia 14 de fevereiro  do Decreto-lei n.º 10/2018 relativo à limpeza de terrenos em redor de edifícios, os critérios de execução da referida limpeza foram alterados. Pelo que de acordo com a nova legislação todos os  proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que a qualquer título detenham terrenos confinantes com edifícios têem que proceder à limpeza de vegetação, numa largura de 50m, medida a partir dos edifícios até ao dia 15 de março de 2018.

Na referida limpeza de 50m é obrigatório:

- proceder à limpeza total do mato;

- as copas das árvores devem estar afastadas 5 metros do edifício;

- as árvores com menos de 8m devem ser desramadas em metade da sua altura, sendo que as que têm mais de 8m devem ser desramadas até 4m acima do solo;

- no caso do pinheiro bravo e do eucalipto as copas das árvores devem estar afastadas entre si no mínimo 10m;

- todas as outras espécies florestais devem garantir 4m de afastamento entre copas;

- esta legislação não se aplica a árvores de fruto.

As multas por não cumprimento poderão ir até aos 10 mil euros para particulares e 120 mil para pessoas coletivas.

Qualquer dúvida pode ser esclarecida junto do Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal de Vale de Cambra.

 

Já limpou o seu terreno? Multas até 10 mil euros para quem não cumprir regra

23 janeiro 2018

A Câmara Municipal de Vale de Cambra quer que todos cumpram

as regras: até ao dia 15 de março de 2018 os proprietários, arrendatários,

usufrutuários, ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos

confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais têem que proceder à

limpeza de vegetação, numa largura de 50m, medida a partir dos edifícios.

As copas das árvores devem estar afastadas 5 metros do edifício.

As copas das árvores no raio de 50m de edificios devem estar afastadas

de acordo com o esquema seguinte: